20.8.05

$64?? E aceitamos este roubo??

Esta semana o preço do petróleo atingiu os 64 dólares por barril, um valor recorde e que tudo indica será superado em breve. A explicação para a subida foi a da queda abrupta da produção no Equador, que recentemente sofreu uma descida de 65%. Recentemente, o preço do barril de petróleo havia atingido um recorde anterior após a morte do rei Fahd da Arábia Saudita, sob o pretexto que poderia lançar instabilidade política no reino, o maior produtor de petróleo do Mundo. E no entanto, Fahd estava incapacitado há 10 anos e a administração era conduzida pelo seu meio-irmão que agora ascendeu ao trono, o príncipe Abdallah, a sua morte era algo que estava iminente e não surpreendeu ninguém, mesmo assim foi o suficiente para o preço do petróleo subir. E o que dizer do pretexto tantas vezes avançado para as subidas recentes do preço do petróleo nos últimos anos [actualmente o preço do crude é cerca de 2-3 vezes mais elevado do que em 2001] relacionado com o aumento da procura por parte da China e da Índia? São apresentadas como gigantes preparados a engolir os recursos energéticos disponíveis, mas a China não representa mais do que 8% do consumo mundial de petróleo...a Índia ainda menos. E onde estavam há 5 anos atrás, quando o barril de petróleo era muito mais barato? Não tinham já uma população combinada de 2300 milhões de pessoas? Ou vão dizer que não tinham energia eléctrica?
Apesar de tudo, continuamos a aceitar esta situação inconcebível que é a de um barril de petróleo custar 64 dólares em Nova York e poder custar 70 ao final da próxima semana, quando há cinco anos atrás custaria cerca de 30...Como justificar isto? Quem vence são sempre os especuladores, e uma coisa que me continua a surpreender é como é que no início do século XXI, com todos os meios que nós dispomos para aproveitar energias alternativas e renováveis, continuamos dependentes de um líquido preto mal cheiroso cuja utilidade foi descoberta no século XIX... Porque continuamos dependentes do petróleo? Será que além de consuimdores inevitáveis do referido hidrocarboneto ainda temos de pagar os vencimentos milionários dos dirigentes das companhias petrolíferas? Isto é inaceitável e vai muito além dao funcionamento da "livre economia de mercado" [não tão livre como nos dizem...], nada disto tem a ver com a "mão invisível" de Adam Smith que equlibra o mercado [porque temos um enorme desequilíbrio entre mãos] a menos que por "mão invisível" se entenda a acção dos especuladores.
Basta alguma fonte com o mínimo de credibilidade anunciar que na próxima semana, o preço do barril de petróleo pode atingir os 70 dólares e podemos ter a certeza que é o que vai acontecer, não que seja inevitável mas porque a mensagem entra de tal forma na cabeça dos negociantes que quase pareceria uma anomalia se tal não acontecesse. Infelizmente, a sociedade civil não mostra sinais de saturação ou de revolta, para nosso grande mal...

1 Comments:

Blogger Snowgaze said...

É tudo uma questão de oferta e de procura. Se o preço sobe, mas mesmo assim o produto continua a escoar, porque não continuar a subir o preço? Quanto ao preço do petróleo, eu ouvi dizer a um especialista, no início deste ano (há 8 meses, portanto), que chegaria aos 100 dólares por barril antes do fim do ano. Já passou os 65, e ainda temos 4 meses e meio de aumentos à nossa frente...
Entretanto, o híbrido da Toyota (Prius) não é fabricado em quantidades suficientes para ser sequer publicitado na Europa, e outros fabricantes anunciam que os seus veículos híbridos começaram a ser vendidos no fim da década, apesar de já estarem desenvolvidos (aqui podemos agradecer ao sistema de patentes).
Mas independentemente disso, cada vez se vêem nas estradas mais jipes e outros veículos de consumos pouco amigos das reservas petrolíferas.

22 agosto, 2005 09:21  

Enviar um comentário

<< Home


Click Here