5.5.06

Proposta para a educação

Desde que entramos na escola primária até ao momento em que terminamos a faculdade, a grande maioria das nossas avaliações estão dependentes dos nossos resultados em provas de conhecimentos conhecidas como testes e exames. Já todos sabemos como é, o teste/exame é marcado com a devida antecedência, durante cerca de 90% do tempo a maior parte das pessoas não pensa nisso, e nos últimos 2/3 dias tem lugar uma concentração maciça de absorção de conhecimentos através da memorização de expressões e de palavras. Enfim, não é disto que eu queria falar. O que está em causa é simples: este modelo de atribuir um maior peso da nota final ao resultado num teste ou exame não exprime, de maneira nenhuma, o conhecimento de cada um. Muito pelo contrário, aquele formato obriga os alunos a compactar o seu conhecimento numa expressão compatível com os 90 ou 120 minutos concedidos para fazer o teste/exame e torna possível que uma boa parte dos conhecimentos seja esquecida logo após ter terminado. Ou vão-me dizer que não existem pessoas que imediatamente após saírem da sala, nunca mais pensam na matéria?
O que eu proponho, então, é muito simples. Abandona-se o formato do teste, que não reflecte os nossos reais conhecimentos, apenas aqueles que conseguimos expressar naquele instante [mas que nem sempre podemos expressar na sua totalidade] e desenvolvemos uma nova forma de avaliação, consistindo no seguinte: inserção de um micro dispositivo electrónico que, utilizando nanotecnologia, percorre o nosso cérebro, converte as sinapses num código e transpõe esse mesmo código para linguagem corrente através de um dispositivo exterior. Assim, através da programação do referido micro dispositivo, este pode ser enviado à procura das informações que os professores querem e captá-las na sua totalidade, eliminando a necessidade de testes e exames. Agora, já só falta que alguém consiga converter os impulsos cerebrais em linguagem compreensível. Simples, não acham?

2 Comments:

Blogger Dexter said...

Cara, achei tua argumentação tão legal, tua proposta tão ótima que postei numa comunidade minha do odkur: http://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=27811617&tid=2557833557307169240&na=2&nst=71 as pessoas estão lendo e debatendo, se quiser ir lá dar sua opinião e defender seu ponto de vista. A vontade.

26 março, 2008 15:23  
Blogger toakidinovo said...

Escuta, você esta louco ou o que?
Já não basta que selecionem o que nos é digno de aprender e o que não devemos dar atenção, ainda quer que implantem um chip na cabeça do sujeito para ver se ele está pensando da forma que gostariam que pensem. O pior é falarem de sua extrema bagagem cultural, vai se informar melhor da sua brilhante idéia amigo; Por que não começa lendo Deleuze, Foucault, Debord, e alguns outros que pensam a questão do poder na sociedade. E bom, se nossa subjetividade já é multilada hoje, imagino que não existira mais se ocorrer a sua brilhante idéia.

17 maio, 2008 06:02  

Enviar um comentário

<< Home


Click Here